domingo, 13 de julho de 2014

Esporte e responsabilidade social: uma relação campeã

Há mais ou menos dois anos atrás, escrevi aqui mesmo no blog um artigo sobre responsabilidade social, mais especificamente no mundo dos esportes, me reportando a um conflito da Fórmula 1 com uma possível guerra civil no Bahrein.

Naquela ocasião, basicamente, critiquei Bernie Ecclestone, que é o homem que cuida dos direitos comerciais da Fórmula 1, por sua postura, que demonstrou claro desinteresse por quaisquer consequências que pudessem ser sofridas pelos pilotos, jornalistas, dirigentes e torcedores, em cenário tão hostil. Isso foi uma mostra evidente de falta de responsabilidade social.

Agora, em 2014, a FIFA, durante a Copa do Mundo, resolveu punir severamente o atacante da seleção uruguaia, Luis Suárez, por ter mordido o zagueiro italiano Giorgio Chiellini. A punição foi uma suspensão de 9 partidas oficiais pela seleção uruguaia, uma multa de 100 mil francos suíços e incríveis 4 meses impedido de participar de qualquer atividade relacionada ao futebol, inclusive treinar ou até mesmo assistir jogos em estádios.

O comportamento estranho de Suárez, de morder os adversários, é recorrente. Ele já foi punido duas vezes anteriormente, uma quando jogava no futebol holandês e a segunda, na Inglaterra. Este é um caso em que a punição me pareceu exagerada e que pouco contribuirá para que o talentoso jogador se corrija. Por exemplo, a punição em jogos oficiais poderia ser esta mesmo, mas ao invés de multa em dinheiro e de 4 meses sem trabalhar, que tal determinar que o atleta fizesse um ano de terapia? Muito mais digno e seria uma prova de que a entidade se preocupa com as condições de suas principais estrelas.

Por outro lado, o lateral colombiano Camilo Zuñiga agride o atacante brasileiro Neymar com uma violenta joelhada, que resultou em um fratura de vértebra, e esta agressão não resultou em nenhuma punição, nem dentro, nem fora de campo. A análise das duas situações e das punições faz da FIFA um órgão cada vez mais insondável e torna o futebol menos compreensível.

Já a Federação Alemã, campeã da Copa 2014, apresentou um belíssimo exemplo de responsabilidade social quando se instalou em Santa Cruz Cabrália-BA, para se concentrar durante a competição. Construíram importantes estruturas, empregaram pessoas da região e os jogadores, sem perder o foco e a responsabilidade, interagiram com a população local, dançando, frequentando a praia, cantando o hino do Esporte Clube Bahia e participando das festas. Este é um exemplo de que o esporte também constrói e socializa, não devendo existir somente como negócio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

«« LOCALIZAR »»