domingo, 2 de fevereiro de 2014

Por uma nova realidade para o futebol brasileiro

Se há um setor econômico no Brasil no qual a gestão é controversa, este setor é o dos clubes de futebol. As boas práticas de gestão empresarial muitas vezes são solenemente solapadas, ignoradas ou fraudadas. Ao contrário do que possam pensar alguns (normalmente os que não gostam de futebol), este setor é de interesse público sim, afinal as irresponsabilidades cometidas por alguns gestores tem impacto inclusive para os cofres públicos.

Por exemplo, a esmagadora maioria dos clubes brasileiros tem pendências previdenciárias, com o INSS. Isto demonstra bem o descaso dos dirigentes com as leis e com os contratos e compromissos assumidos com os atletas e demais funcionários dos clubes. Em termos de gestão empresarial, os clubes de futebol brasileiros ainda estão, na média, a anos-luz de distância de empresas/instituições que se possam considerar minimamente sérias ou dos principais clubes europeus.

Agora, como se não bastasse, foi divulgada uma lista de 12 clubes de futebol brasileiros com sérias pendências junto ao Banco Central, ou seja, questões bem mais complexas, relativas a ilícitos financeiros, neste caso, mais precisamente, são multas de ilícitos cambiais, o que indica possíveis fraudes inclusive em transações com clubes do exterior. Vejamos a lista divulgada pelo jornal Estado de São Paulo, com total de multas superior a R$ 100 milhões:

 

É impressionante o desperdício de recursos existente neste setor, que poderia dar uma enorme contribuição à economia brasileira. Este desperdício decorre de falhas gerenciais e de ilícitos, ou seja, no geral, os gestores de futebol no Brasil são incompetentes ou pior, desonestos. Entretanto, há casos em que a situação parece estar mudando, a exemplo do Clube de Regatas do Flamengo e do Esporte Clube Bahia, sendo que no primeiro, há agora um Presidente que já tem experiência na condução de uma grande empresa, o BNDES; no segundo caso, até uma intervenção judicial foi necessária para a sua moralização, superando uma sequência quase infindável de recursos apresentados pela gestão destituída.

Casos como estes ainda dão esperanças de que o futebol brasileiro possa ter outro perfil de dirigentes, competentes e responsáveis, comprometidos com os objetivos de suas torcidas (ganhar os torneios) e em manter seus clubes saneados, financeiramente eficientes e auto-suficientes, socialmente responsáveis e cumpridores das leis esportivas e de outras áreas. A verdade é que o futebol brasileiro precisa mudar de relidade.

2 comentários:

  1. E o que mais enoja é que postam de vestais mas são imundos! Vice é uma vergonha!

    ResponderExcluir
  2. com que base para essa lista ai???? " Entretanto, há casos em que a situação parece estar mudando, a exemplo do Clube de Regatas do Flamengo" me deixe viu...... a ai a sardinha fica toda assanhada lendo isso.

    ResponderExcluir

«« LOCALIZAR »»