quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

O que é legal, é etico?

Um fato dos últimos dias, que acirrou discussões na internet e vem provocando reflexões, é a punição de 4 pontos imputada à Portuguesa pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), em função da escalação indevida do meia Héverton, na 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, no jogo Portuguesa X Grêmio.

O jogador entrou em campo apenas aos 32 minutos do segundo tempo, e de acordo com a defesa do clube, tocou na bola pouco mais de 1 minuto, sem nenhuma consequência para o resultado do jogo, que terminou empatado, classificando o Grêmio para a Taça Libertadores da América de 2014 e evitando o rebaixamento da Portuguesa para a Série B do Brasileirão.

No entanto, muitos tem apresentado o argumento de que o Cruzeiro, campeão brasileiro de 2013, ao escalar um jogador irregularmente, teria sido punido com uma multa em dinheiro, o que não foi aplicado no outro caso, no mesmo campeonato, mas agora em novo julgamento, o Cruzeiro perdeu 3 pontos, o que não alterou sua situação, dada a margem de 11 pontos sobre o vice campeão Grêmio.

Em situação similar, em 2010, o Fluminense, campeão brasileiro da ocasião, também foi punido com multa em dinheiro, já que, segundo Paulo Schmitt, o Procurador-geral do STJD, seria "imoral" mudar o resultado e o campeão brasileiro. Entretanto, o mesmo Fluminense, agora se beneficia dos pontos subtraídos da modesta Portuguesa, ou seja, agora não é mais "imoral" mudar o resultado.

Além do mais, como se não bastasse, a defesa da Portuguesa apresentou informativo eletrônico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no qual Héverton estava liberado para jogar, já que seu julgamento por expulsão no jogo Bahia X Portuguesa, duas rodadas antes, havia ocorrido em uma sexta-feira à noite, pouco menos de 48 horas antes do fatídico Portuguesa X Grêmio, ou seja, quem deveria esclarecer induziu a erro. Teria sido ocasional, ou proposital para favorecer o poderoso Fluminense, de maior orçamento, em detrimento da modesta Portuguesa, que tem menos torcida e faturamento?

Ainda assim, os dois julgamentos do STJD puniram a Portuguesa por unanimidade, olhando apenas e tão somente o que diz a legislação, estranhamente, secamente, sem qualquer análise ou interpretação, o que costuma ocorrer em diversas disputas judiciais. Os defensores do Fluminense dizem "é a lei e tem que cumprir". Eu concordo com isto, claro que as leis devem ser cumpridas, mas não casuisticamente, tem que ter interpretação e ponderação de fatores, tem que ser igual para todos. 

Daí, surge minha questão para reflexão: o que é legal, é necessariamente ético? 

Feliz 2014!!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

«« LOCALIZAR »»