sábado, 8 de junho de 2013

Santos e Neymar: uma aula de estratégia e planejamento

Nos últimos dias, um dos assuntos mais comentados foi a milionária transferência do atacante Neymar, do Santos, clube que defendeu nos últimos 9 anos, para o poderoso Barcelona, da Espanha. Diversos aspectos foram discutidos pela imprensa, especialistas e amigos em mesa de bar, desde a capacidade técnica, passando pela diferença tática entre os dois clubes e respectivos países, chegando até mesmo à sua vida pessoal.

A verdade é que do ponto de vista de gestão, o Santos mostrou muita competência ao evitar ser seduzido pelos primeiros "cantos da sereia" que foram ouvidos, a partir de 2010, quando Neymar, Ganso e companhia começaram a ganhar o Brasil, ao iniciar uma sequência de três títulos paulistas (2010/2011/2012), 1 Copa do Brasil, em 2010, uma Libertadores da América e uma Recopa Sul-Americana, em 2011.

Outros dirigentes de futebol pelo Brasil afora teriam negociado Neymar antes mesmo de ele chegar ao time principal, na primeira proposta um pouco mais robusta que aparecesse, mas o Santos preferiu investir ainda mais na imagem e no talento de Neymar e se deu muito bem, pois triplicou o número de sócios, ganhou os seis títulos citados acima e consequentemente ganhou muitos torcedores entre as crianças.

Ao recusar propostas e aumentar o salário de Neymar, o Santos deu a receita de como cuidar de um grande talento e no final obteve duas propostas bem mais interessantes do que aquelas que recebia 3 anos atrás, prevalecendo a vontade de Neymar e o bom senso quando a escolha recaiu sobre o Barcelona, que já acompanhava seus passos desde 2009 e oferecia um ambiente de trabalho bem menos conturbado do que a "fogueira de vaidades" do Real Madrid, apesar de ambos serem clubes com tradição no futebol europeu, diferentemente de outros clubes que tentaram contratar Neymar no passado e que pretendiam colocar toda a responsabilidade de decidir os jogos em suas costas.

Enfim, o Santos deu uma aula de estratégia e de planejamento, pois teve uma visão de médio e longo prazo ao formar um ídolo, aumentando, como eu disse anteriormente, sua receita e o número de torcedores, bem como entendeu corretamente qual seria o momento de encerrar a passagem de Neymar pelo clube, embolsando um valor superior a R$ 130 milhões, o que é uma enorme soma para qualquer clube brasileiro, além de permitir ao atleta buscar de forma estruturada outros horizontes em sua carreira. Foi um ótimo negócio para todos e uma bela lição para certos dirigentes de clube no Brasil.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

«« LOCALIZAR »»