domingo, 15 de julho de 2012

Concorrência: uma benção do capitalismo

Um dos elementos mais importantes do capitalismo é a concorrência, que consiste na possibilidade de escolher os nossos fornecedores de produtos e serviços. O princípio é básico e fácil de entender: quem oferecer as melhores relações condições/preço tenderá a conseguir as maiores "fatias" de mercado e como terá mais procura poderá aumentar um pouco mais seus preços, e portanto, seus lucros. Esta é a "Lei de oferta e demanda".

Entretanto, nem sempre as coisas são desse jeito, pois nem todos os produtos e serviços estão submetidos a esta "Lei". Um bom exemplo disso são as concessões de serviços públicos para empresas privadas, como é o do transporte via ferry boat, de Salvador até a Ilha de Itaparica, operado por uma empresa chamada TWB, que neste caso não tem concorrentes e pratica os preços que quiser, desde que tenha a anuência do Governo da Bahia.

Infelizmente, esta liberdade permite também que o serviço não evolua, pois há muito tempo (quando eu era criança já era assim) o desembarque de pedestres é feito pelo mesmo espaço em que os carros desembarcam, ou seja, os pedestres precisam se esgueirar no estreito espaço que há entre os carros para poder sair e somente depois, os veículos saem e é assim desde sempre, afinal não há concorrentes e a alternativa para quem está de carro é ir pela estrada, aumentando os trajetos em cerca de 200 km ou talvez mais a depender do destino.

O modus operandi, como eu já havia dito é basicamente a mesmo há muito tempo, sem grandes avanços e eu credito isto ao monopólio e claro, à forma com que o governo estadual vem controlando a concessão, sem muito empenho na melhora. Se houvesse uma divisão da concessão entre duas ou mais empresas, ou seja, se houvesse concorrência, o cenário seria bem diferente, tenho certeza que nenhuma empresa se recusaria, por exemplo, a receber os cartões da bandeira Visa, tanto de débito quanto de crédito.

Este não é o único exemplo, obviamente, de como a ausência de concorrência é uma maldição para o consumidor, bem como a presença da concorrência é uma benção. Entretanto, este caso ilustra bem a importância de haver opções viáveis para o consumidor, tanto que as situações de monopólio e oligopólio (poucos concorrentes no mercado, ao ponto de que a entrada ou saída de um concorrente provocam alterações substanciais no mercado) são tratadas na teoria econômica como sendo mercados de concorrência imperfeita.

Quem não tem competência não se estabelece, já diz uma famosa citação. Poucas frases fazem tanto sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

«« LOCALIZAR »»