sexta-feira, 6 de abril de 2012

A importância da (verdadeira) responsabilidade social.

Caros,

Vivemos em uma sociedade onde é cobrado das organizações que sejam adotadas ações de responsabilidade social, ou seja, que não se pautem tão somente pelo dinheiro, mas de fato, o que é esta tão celebrada responsabilidade social? Conforme o Instituto ETHOS, responsabilidade social empresarial é "a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais que impulsionem o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais."

Bonito, não? Mas quando confrontamos a teoria com a prática, verificamos que na realidade, muito pouco é de fato feito pela responsabilidade social, e não é só no Brasil! Ainda há quem acredite que ações pontuais, como mostrar na TV que estão doando cestas básicas, são mostras de responsabilidade social, e não são. Podem ser ações de marketing, de propaganda, mas não são responsabilidade social. Se fazer de "bonzinho" não é responsabilidade social! Responsabilidade social é algo muito mais amplo, muito mais complexo, e que requer respeito pelas demandas dos empregados, dos clientes, dos acionistas, do estado, do meio ambiente, etc... 

Em todo o mundo existe gente capaz de vender até a própria mãe para ganhar dinheiro e organizações gananciosas e inescrupulosas, ou seja, sem nenhum senso de responsabilidade social. Um ótimo exemplo deste tipo de pessoa chama-se Bernie Ecclestone, o inglês que é dono dos direitos comerciais da F-1, e que insiste na realização do GP do Bahrein de 2012 (e insistia também em 2011), mesmo sob a forte crise política do local, que já resulta inclusive em protestos violentos, com mortes. 

Um dos argumentos dos que acham que o GP deve ser cancelado é o de que realizá-lo é uma forma de legitimar as ações do governo local, e que esta legitimação poderá acirrar os protestos e por consequência a repressão, provocando ainda mais mortes. Este me parece um argumento suficientemente bom para tomar uma decisão deste tipo, a não ser que o decisor esteja apenas querendo encher os bolsos e inflar seu próprio ego, o que é exatamente o caso do Bernie.

Sou amplamente favorável ao modo capitalista de produção, mas é impossível defender a figura do empreendedor ou empresário, quando ele age sem escrúpulos e sem responsabilidade social, chegando ao extremo de por vidas em risco em nome do dinheiro e do glamour.

Feliz Páscoa e muita paz a todos!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

«« LOCALIZAR »»