terça-feira, 4 de outubro de 2011

Warren Buffett: um exemplo de vida

Pessoal,

Estou lendo "A Bola de Neve", que é uma biografia de Warren Buffett, o terceiro homem mais rico do mundo, e foi escrita por Alice Schroeder, uma profissional da área de finanças. O livro é resultado de 5 anos de pesquisas e entrevistas, que incluindo todos os apêndices, possui quase 1.000 páginas.

A leitura está me inspirando, não só por se tratar de um homem muito bem-sucedido financeiramente, tendo construído seu patrimônio essencialmente operando com o  mercado de ações, mas também por princípios e atitudes que Buffett sempre adotou ao longo dos seus mais de 80 anos de vida. Buffett sempre manteve-se fiel às suas convicções, mesmo quando elas não coincidiam com as de seu pai, o congressista (Deputado Federal) Howard Buffett, e de Benjamin Graham, autor de "O Investidor Inteligente", para quem Warren trabalhou durante alguns anos e de quem era fã incondicional.

Além de suas fortes convicções, Buffett sempre teve objetivos muito bem definidos e sempre pautou seu auto-desenvolvimento em função destes mesmos objetivos, com um grau de disciplina que em muitos momentos foi obsessivo. Outra característica marcante é a autêntica paixão dele por Omaha, sua cidade natal, no interior do estado do Nebraska, mesmo tendo residido em Washington e New York.

Quando teve condições, Buffett manifestou algumas vezes a sua discordância contra posições da elite de Omaha, que discriminava judeus e outros imigrantes, e apesar de detestar trabalhos braçais, por muitas vezes assumiu ou impôs a si próprio determinadas tarefas apenas porque acreditava que se aproximaria um pouco mais de seus objetivos.

Como se não bastasse, Buffett também tinha facilidade em lidar com números, paciência para ler relatórios financeiros e manuais durante horas e honestidade na relação com patrões e depois com seus clientes, em suas sociedades de investimento, sendo também uma personalidade altamente voltada ao empreendedorismo.

O que acho bom nesta biografia, mas que nem sempre acontece em biografias, é que Buffett é retratado como um ser humano, com acertos e erros, com um lado favorável e outro desfavorável. O mesmo Buffett foi (e ainda é) excessivamente econômico e durante muitos anos sofreu por sua imaturidade e por sérias dificuldades em se relacionar com outras pessoas, o que fez dele uma pessoa incompreendida e incapaz de aproveitar algumas boas oportunidades que a vida ofereceu.

Para saber mais sobre essa grande figura, clique aqui.

Até mais, pessoal!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

«« LOCALIZAR »»