terça-feira, 6 de setembro de 2011

Corrupção: a raiz de todos os problemas

Amigos,

Acabo de ler uma reportagem da Folha de São Paulo (clique aqui), abordando com exatidão o que já se sabia intuitivamente: a corrupção é a grande dilapidadora do desenvolvimento sócio-econômico no Brasil. A reportagem nos mostra que em 7 anos, a corrupção abocanhou o equivalente a um PIB boliviano.
Este fato é altamente preocupante e nos indica que ainda há um longo caminho no combate à corrupção.

Muita gente (e eu também) considera a corrupção um câncer em nossa sociedade, quando partimos do princípio de que o dinheiro desviado deveria atender as necessidades de investimentos em: saúde, educação, infra-estrutura, segurança pública e outros setores. A negligência destas necessidades, somada a outros fatores, nos torna uma sociedade carente, violenta, faminta e com uma economia que não aproveita todo o seu potencial.

Sendo assim, a corrupção é a raiz de todos os problemas sociais que existem, não só no Brasil, mas em todos os países. Entretanto, há uma diferença fundamental e que define quem vence e quem perde esta luta: a disposição em punir os corruptos ativos (que corrompem outras pessoas) e passivos (que se deixam corromper). Nos países em que há punições severas, exemplares e que alcançam a todos que mereçam, os casos de corrupção são bem mais raros.

Mas agora, lanço uma questão: você acha a nossa sociedade corrupta? pode dar exemplos? 

Até mais, amigos!

6 comentários:

  1. LEONARDO MAGNAVITA6 de setembro de 2011 23:22

    A corrupção é direta proporcional à tolerância que a população tem com os corruptos. A corrupção está impregnada na nossa história (desde que o Brasil ainda era Terra de Sta Cruz) e na nossa cultura (o famoso jeitinho brasileiro, a maladragem carioca, etc). O que dizer, então, da nossa justiça e do nosso judiciário? E do executivo? E do legislativo? Infelizmente, a corrupção está no cerne de nossa identidade como Nação e desvencilhar-se dessa cicatriz exige muito mais do que investimentos pesados em educação, cultura e obediência severa a leis que, de fato, punam indistintamente. Exige a mão pesada de Deus: ou um milagre ou uma catástofre.

    ResponderExcluir
  2. Hahahahahaha!!!!!! Léo, eu gostei de "Exige a mão pesada de Deus: ou um milagre ou uma catástofre." Entretanto, me vejo obrigado a discordar um pouco, porque eu ainda acredito que a educação é um caminho para combater a corrupção no longo prazo.

    Em relação à nossa cultura, é indiscutível que o elemento corrupção faz parte, mas acredito que com menos força do que há 30 ou 40 anos atrás, por exemplo. Sinal de que algo está mudando.

    ResponderExcluir
  3. Prezados,
    corrupção não é causa, e sim consequência. Concordo com o Magnavita que isso está no cerne da nossa cultura, mas existem formas de suplantar isso com educação e medidas punitivas, sim. Contudo, só isso não basta, e não vai ser a mão de Deus a fazer isso. Eu acredito numa "revolução da consciência", que pode ocorrer no curto prazo, quando passarmos a ter mais entendimento do nosso papel na razão de ser das coisas. Quando deixarmos de achar que "não é comigo", teremos arrancado a raiz do problema.

    ResponderExcluir
  4. Esta é uma discussão interessante: a corrupção vem da falta de educação ou a falta de educação é reflexo de uma sociedade corrupta que impede as massas de se conscientizar?

    ResponderExcluir
  5. O que se considera corrupção pode variar muito de um País para outro, para não se falar que corrupto é sempre o outro.
    Algumas práticas que no Brasil é abominável e considerada corrupção, como por exemplo o abuso do poder econômico com doações milionárias de campanha, nos EUA isso é prática corriqueira e até incentivada; Na Suiça, um grande número de deputados federais acumula uma média de 25 cargos em conselhos de administração de empresas, bancos, seguros e fundações, sem cometer qualquer ilegalidade, pois a lei isso permite. Embora recebam uma importante remuneração mensal, só precisam comparecer a cerca de quatro reuniões anuais das empresas pagadoras.
    Pois é, a diferença é que esse tipo de corrupção lá não existe, pois é legalizada e, por isso os casos de corrupção são estatisticamente inferiores, sem falar que a Suiça e outros paraísos fiscais incentivam a corrupção pelo resto do mundo, acobertando depósitos resultantes da lavagem de dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acar, você trouxe informações bastante interessantes, que realmente expõem outras visões do que é ético ou moral em outras culturas. Entretanto, quis expôr no artigo a face mais cruel da corrupção, ou seja, o político que se apossa da verba para a merenda escolar ou para a saúde, que indiretamente até mata as pessoas, já que mantém suas necessidades básicas sem atendimento. Eu quis falar não da "zona cinzenta", aquela cheia de dúvidas e interpretações, mas sim da que é inquestionável em qualquer cultura.

      Abraço e obrigado por acompanhar o blog!

      Excluir

«« LOCALIZAR »»