quinta-feira, 5 de maio de 2011

Previdência pública: uma armadilha

Meus Caros,

Hoje escrevo por conta de algo que me incomoda muito: a previdência pública brasileira. Na verdade, a forma como a maioria das previdências públicas atua é que me incomoda bastante. Existe um conceito de solidariedade geracional, de que as gerações mais jovens devem contribuir para manter
os benefícios e pensões das gerações mais antigas e que no futuro, gerações mais novas que a sua cuidarão de sua manutenção na velhice.

É tudo muito bonito, mas no contexto demográfico atual, impossível de ser aplicado. Afinal, os países de forma geral, e o Brasil mais especificamente, tem suas populações em processo de envelhecimento, ou seja, a expectativa de vida cresce (e isso é bom) e a proporção de idosos em relação à população também cresce. Resultado: cada vez menos pessoas trabalhando e contribuindo e mais pessoas recebendo benefícios. Desse jeito a conta não fecha...

E como se não bastasse isso, no nosso caso, convivemos com desvios e má gestão. Vi uma reportagem (clique aqui), mostrando que apesar de decisão judicial que beneficia 130 mil pessoas em R$ 1,5 bilhões, o INSS declara não ter recursos. Simples assim: não há recursos e só Deus sabe quando essas pessoas receberão o que lhes é devido.

Desta maneira, fica claro que o seu futuro só se garante se você assumir as rédeas e INVESTIR, tendo em vista que é VOCÊ o único responsável por seu futuro e que você tome suas próprias decisões de planejamento e investimento. Para tanto, humildemente, proponho que conheça o blog de educação financeira chamado Enriquecimento Total, para começar ou aprimorar seu processo de evolução financeira.

Abraços a todos e até mais,

2 comentários:

  1. O mecanismo da Previdência Pública não é muito diferente do de uma "pirâmide" ou "corrente", só que oficial! E toda pirâmide quebra quando a base não suporta o peso do topo... Fica bem didático entender quando vemos a pirâmide etária do Brasil com sua base cada vez mais estreita.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, Leonardo! A analogia se aplica com perfeição e é terrível que poucas vozes se levantem a respeito.

    ResponderExcluir

«« LOCALIZAR »»